Sexta-feira, Agosto 14, 2020
Inicio Cultura “Resgate” de Mickey Fonseca estreia como primeiro filme Moçambicano na Netflix

“Resgate” de Mickey Fonseca estreia como primeiro filme Moçambicano na Netflix

Estreou ontem, quarta-feira, na Netflix, maior plataforma mundial de streaming, o primeiro filme independente e de produção nacional “Resgate”, cuja disponibilidade é para 190 países.

Já antes da estreia na Netflix, o filme foi lançado oficialmente em 2019, a nível mundial, tendo sido exibido a prior aos 18 de Julho do ano supra citado, nos cinemas de Maputo e Matola, como também em Nampula, Tete, Chimoio, Angola, Zimbabwe, Portugal, e em festivais no Burkina Faso.

A longa-metragem “Resgate” foi filmada no território Moçambicano nos anos de 2017 e 2018, tendo sido feita a edição de cor em Portugal e a edição de som na África do Sul.

Segundo o realizador e escritor do Filme, Mickey Fonseca, o resgate é uma história de amor, retrata a história de um jovem de nome Bruno, que apesar das más jogadas que a vida lhe tem feito, o anseio é estar ao lado da sua família, esposa Mia e sua filha e proporcionar um lar. Porém a falecida mãe devera uma quantia ao banco, o qual ameaçou ao Bruno de despejo caso não liquidasse-a, intimidado com a questão Bruno acaba caindo no mundo do crime. Relata também os raptos de empresários, uma realidade social que tem assolado Moçambique nos últimos anos.

O filme contou com o financiamento parcial da viacrowdfunding, e foi premiado ao título de Melhor Roteiro e Melhor Direcção de Arte no África Movie Academy Awards(AMA Awards), premiação de maior elevo no cinema africano do mundo, realizado na Nigéria anualmente.

Fonseca sente-se honrado por poder contemplar a estreia do seu filme na maior plataforma virtual audiovisual do mundo, e por ver a aceitação que o filme teve, superando até as suas expectativas. E com este “sonho realizado” ele espera que nível nacional, passeios a dar mais valor a cultura e o cinema, de modo que se “leve o país para o mundo”.

Para o autor, a ideia principal do filme é “mostrar o lado das dificuldades, de o que é capaz de levar um jovem a entrar no crime e as consequências que isso tem”, chamar as pessoas à razão, fazendo-as “pensar, reflectir um pouco sobre alguma mudança que tem de se fazer, sobre algum diálogo que se tem de ter à volta de certos aspectos para podermos melhorar e para podermos ter uma sociedade melhor. Eu queria mostrar esse lado, queria mostrar o lado das dificuldades, de o que é capaz de levar um jovem a entrar no crime e as consequências que isso tem mais à frente na vida deles.

O filme já está disponível no Netflix com dublagem em inglês.

Receber notícias por e-mail

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. Ao se inscrever no nosso newsletter, você concorda com nossos Termos de uso e Política de privacidade.

- PUBLICIDADE -
Top Stories

XipalaPala podcast

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

500 Moçambicanos repatriados pelas autoridades sul-africanos

Um número de 500 moçambicanos foi repatriado ao seu país de origem pelas Autoridades Sul-africanas, como medida de prevenção...

A história do Banco de Moçambique

O Banco de Moçambique (BM) é o banco central da República de Moçambique, criado em 1975, dia 17 de...

Suicídio é a segunda principal causa de morte entre os jovens

A cada 40 segundos, uma pessoa morre de suicídio no mundo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS)...

África CDC e parceiro lançam ferramentas para avaliar o impacto e propagação da COVID-19

O Centro Africano para Controle de Doenças (África CDC) e a agência African Risk Capacity (ARC) anunciaram ontem o...

Cidade de Maputo atinge nível de transmissão comunitária da COVID-19

A cidade de Maputo passou ao padrão de transmissão comunitária da COVID-19. A declaração foi feita pelo Ministério da...
- PUBLICIDADE -

500 Moçambicanos repatriados pelas autoridades sul-africanos

Um número de 500 moçambicanos foi repatriado ao seu país de origem pelas Autoridades Sul-africanas, como medida de prevenção da Covid-19, na RSA. Antes...

Suicídio é a segunda principal causa de morte entre os jovens

A cada 40 segundos, uma pessoa morre de suicídio no mundo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) no total morrem por ano...

África CDC e parceiro lançam ferramentas para avaliar o impacto e propagação da COVID-19

O Centro Africano para Controle de Doenças (África CDC) e a agência African Risk Capacity (ARC) anunciaram ontem o lançamento de duas ferramentas para...

Cidade de Maputo atinge nível de transmissão comunitária da COVID-19

A cidade de Maputo passou ao padrão de transmissão comunitária da COVID-19. A declaração foi feita pelo Ministério da Saúde é fundamentada por alguns...

Mais da metade dos problemas de perda auditiva podem ser evitáveis

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 466 milhões de pessoas em todo o mundo, o correspondente a 5 por cento da população,...

Província de Tete: Aumentam casos de violência doméstica

O Departamento de Atendimento à Família e Menores em Tete, registou quatrocentos e setenta e cinco casos de violência doméstica este ano. Sem avançar...

Moçambique continua necessitando de ajuda humanitária para vítimas do terrorismo em Cabo Delgado

Embora estejam cada vez mais pessoas a se solidarizar com as vítimas dos ataques dos insurgentes em Cabo Delgado, os bens doados continuam insuficientes,...

Mais de 10 mil agentes de saúde foram infectados pelo coronavírus em África

A Organização Mundial da Saúde (OMS), alertou na última semana sobre a ameaça da COVID-19 nos profissionais de saúde em África. Segundo a agência,...

HCM cancela cirurgias devido a insuficiência de sangue

O Hospital Central de Maputo (HCM), está a cancelar cirurgias, devido a redução do número de dadores de sangue provocada pelo receio de infecção...

Província de Gaza reforça fiscalização de fronteiras

O Secretário de Estado em Gaza, Amosse Macamo, anunciou durante a terceira sessão ordinária do Conselho dos Serviços de Representação do Estado, que o...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here