Domingo, Março 7, 2021
Inicio Destaque Reabertura de praias e fronteiras reanima turismo na Ponta d’Ouro
- PUBLICIDADE -

Reabertura de praias e fronteiras reanima turismo na Ponta d’Ouro

Os agentes da aréa turística da Ponta d’Ouro, na província de Maputo, mostram satisfação com o regresso às praias e esperam que com a possível reabertura da fronteira com a África do Sul o seu negócio reaviva, depois de meses interrompido  de vida a COVID-19.

Os agentes da aréa turística da Ponta d’Ouro, na província de Maputo, mostram satisfação com o regresso às praias e esperam que com a possível reabertura da fronteira com a África do Sul o seu negócio reaviva, depois de meses interrompido  de vida a COVID-19.

Embora reabertas as praias no dia 15 só mês corrente, as praias, especialmente da Ponta d’Ouro continuou vazias devido a temperatura que desfavorecia a esta diversão. Para Firmino Massinga, operador turístico desta praia ” a crise deve-se ao facto de ter se encerrado tudo, sendo que a fonte do dinheiro eram os clientes”.

Mesmo com a temperatura que não se mostrava amigável para se fazer a praia, nada impediu Amélia Mombassa de sair da Zambézia para conhecer e desfrutar as maravilhas da Ponta d’Ouro.

“Realmente é a primeira vez que cá venho (Ponta d’Ouro) e estou a gostar bastante da praia, apesar” de haver poucas “pessoas por causa da situação do Coronavírus”, contou Amélia Mombassa.

Amélia e sua família chegaram à Ponta d’Ouro um dia depois da reabertura das praias no âmbito do relaxamento das restrições impostas pela COVID-19 e cumpriram as orientações para a prevenção do novo Coronavírus.

“Não usei máscara por questões de mergulho, mas quando estou diante de muita gente uso-a”, afirmou a interlocutora, acrescentando que nos supermercados locais é obrigatório o uso da máscara.

Confinada desde a eclosão da pandemia, Iria Mucavele precisava de respirar ar puro, sentir o pulsar da natureza, ver as ondas gigantescas formadas por águas cristalinas e a escolha não podia ser outra: a Ponta d’Ouro.

“Já estávamos a precisar. Ficámos muito tempo confinados. É verdade que há ainda restrições porque quando a praia enche e tem vindo polícias diminuir pessoas para não haver aglomerados”, contou a senhora.

Na Ponta d’Ouro, as estâncias turísticas estão fechadas, os quartos bem arrumados e os restaurantes prontos a servir, mas não há visitantes.

“A expectativa é maior porque antes da abertura das praias tivemos um movimento considerável. No fim-de-semana longo tivemos alguns hóspedes nas nossas casas e foi muito bom de vê-los”, disse Maria Madalena, operadora turística, secundada por Maria Munguambe ao afirmar que “as fronteiras vão reabrir e todos nós voltaremos a trabalhar como deve ser”.

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. Ao se inscrever no nosso newsletter, você concorda com nossos Termos de uso e Política de privacidade.

- PUBLICIDADE -
Top Stories

XipalaPala podcast

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

COVID-19: UNICEF emite alerta para saúde mental de 330 milhões de crianças e adolescentes

Cerca de 330 milhões de crianças e adolescentes confinados no contexto da pandemia da COVID-19 correm risco de desenvolver...

África CDC espera treinar 150 epidemiologistas no continente africano

Cento e cinquenta epidemiologistas serão treinados para aumentar a capacidade das instituições de saúde em África. A iniciativa divulgada,...

PMA prevê expandir ajuda a cerca de 500 mil pessoas em Cabo Delgado

O Programa Mundial de Alimentação (PMA) prevê expandir ajuda a cerca de 500 mil pessoas afectadas pela crise humanitária...

Moçambique espera vacinar 16 milhões de pessoas até 2022

Moçambique quer vacinar 16 milhões de pessoas contra a covid-19 até 2022, meta que corresponde a toda a população...

Cidadão morto por rejeitar cerimónia tradicional em Mandlakazi

Um cidadão de 60 anos de idade foi morto à catanada pelo seu próprio filho, de 27 anos, no...
- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here