Quinta-feira, Setembro 23, 2021
- PUBLICIDADE -spot_img
InicioHábitos e CostumesCasamentos e Cerimónias fúnebres dos machanganas

Casamentos e Cerimónias fúnebres dos machanganas

Portanto, na casa onde houver falecimentos não deve ficar sem familiares ou vizinhos, isto significa que a casa do falecido deve sempre estar lotada de presentes como forma de consolar a viúva no sentido de sentir-se protegida para não pensar no sucedido e não estar sempre angustiada pela perda do ente-querido.

- PUBLICIDADE -

Quando um homem está interessado por uma Mulher, tem de  falar para os seus pais, em seguida interpela-se à família que a moça pertence, por formas que os pais do homem entrem em contacto com a família da Mulher, de modo que chegado lá não tenham nenhuma complicação,  na verdade a expressão que se usa logo que são recebidos é a seguinte “yikombela mati” que  significa, estamos a pedir água e a família da mulher perguntará qual é a água que eles precisam ( água é a expressão que se usa porque a mulher chegado em casa do marido terá de fazer todos os trabalhos de casa incluindo procurar água para ser utilizado em casa), isto por a água ser um precioso líquido muito importante, portanto, os familiares do homem terão que  caracterizar a moça. Note-se que a Família do Homem terá que explicar quais as tendências que tem com a moça. De seguida os familiares  da  rapariga irão dizer quais são os requisitos necessários para que ela saia de casa  (é o caso de lobolo e/ou casamento).  Quanto aos casamentos, na zona sul, um jovem honesto cumpridor da tradição passa por 3 casamentos: Tradicional ou lobolo, Civil e Religioso.

Todavia, o lobolo é imprescindível, razão pela qual o Governo reconhece como legítimas às famílias constituídas neste casamento, desde que as estruturas comunitárias de base assistem e enviem relatórios à administração local, esta por sua vez assenta no registo civil que três meses depois os noivos podem ir assinar o registo do seu casamento, desde que autorizados pelos seus pais.

Lobolo é um costume cultivado até hoje no sul de Moçambique. A família da noiva recebe dinheiro pela perda que representa o casamento e a ida para outra casa. No entanto, o lobolo tem significado de unir os antepassados das duas famílias (a do noivo e a da noiva), pedir aos antepassados que deem sorte ao novo lar e sobretudo a fertilidade da noiva; garantir protecção da mulher na família do seu marido e finalmente passa a pertencer a família do seu marido; garantir o direito a noiva continuar na casa do marido a cuidar dos filhos, caso este morra o irmão do marido assume a esposa como herdeiro da família. Com efeito, o mesmo permite que com a morte da esposa ainda jovem (sobretudo se deixar filhos menores) a família dela oferece ao genro uma menina para cuidar de seus sobrinhos como seus filhos e ela passará a ocupar o lugar da falecida irmã no lar. Se o genro está disposto a lobolar a menina, trata de organizar todas as formalidades, dádivas que constituem  vestuários para pai da noiva, sua mãe, suas tias (materna e paterna), seus avós (maternos e paternos), cinco litros de vinho, tabaco, algumas bebidas tradicionais e um valor de que varia de família em família. Portanto, há famílias que com a pobreza e economia do mercado querem ser compensadas às despesas feitas para o crescimento, saúde e educação da menina já que uma vez formada vai trabalhar para a família do seu marido.

Cerimónias Fúnebres

Relativamente aos falecimentos, se por acaso morre alguém da família, todas as crianças devem ficar fora de casa para que não peguem susto e não podem ver um morto. É obrigatória a presença de todos os membros da família como uma forma de demonstração da união na família e também para despedida da pessoa que teria perdido a vida. Caso isso não aconteça o familiar (filho), que não estiver no velório terá azar.

Portanto, na casa onde houver falecimentos não deve ficar sem familiares ou vizinhos, isto significa que a casa do falecido deve sempre estar lotada de presentes como forma de consolar a viúva no sentido de sentir-se protegida para não pensar no sucedido e não estar sempre angustiada pela perda do ente-querido.

No caso de um chefe de família que perdeu a vida, a esposa deve estar sempre coberta dos pés até a cabeça e não pode ser vista de maneira nenhuma  e também deve ficar no quarto com as tias de casa, chamadas “MASSUNGACATE” que significa tias de casa ou irmãs do falecido. A viúva quando estiver a ir ao cemitério deve estar coberta com uma capulana grande, chamada “MUCUME”. Com objectivo de escondê-la porque presume-se que ela está quente, pelo facto de ter perdido seu marido. Assim, regressando do velório deve-se cortar o cabelo e vestir de preto, como sinal de luto na família. Enfim, fica-se em casa da viúva durante um tempo que corresponde a uma semana para poder visitar a campa do falecido pela segunda vez, o que se chama cerimónia de depositação de flores. Voltando para casa, há uma reunião na família do falecido para decidir acerca de um rito de purificação da mulher, chamado “kuthinga”, onde o irmão mais novo do falecido deve fazer sexo com a viúva. Á noite, após fazer sexo deve-se ferver um chá, onde quem faz é a própria viúva, toma e depois serve para todos os seus filhos como mais uma maneira de lavar a casa. Importa referir que com a globalização e a prática massiva da religião importada pelo ocidente, muitos dos hábitos aqui descritos tendem a desaparecer. A seguir vamos viajar no imaginário dos mitos e crenças dos machanganas.

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. Ao se inscrever no nosso newsletter, você concorda com nossos Termos de uso e Política de privacidade.

- PUBLICIDADE -spot_img
- PUBLICIDADE -spot_img
- PUBLICIDADE -spot_img
spot_img
- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here