Domingo, Março 7, 2021
Inicio Internacional OMS pede uma acção urgente para evitar consequências de Ébola em África
- PUBLICIDADE -

OMS pede uma acção urgente para evitar consequências de Ébola em África

O mundo precisa de uma acção urgente para evitar consequências catastróficas diante dos casos de Ébola confirmados em África. O alerta foi emitido esta terça-feira pela secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki.

Na ocasião, os Estados Unidos garantiram que vão trabalhar com os governos afectados e a Organização Mundial da Saúde (OMS). Jen Psaki acrescentou que apesar da pandemia da COVID-19, o mundo deve prestar atenção no ressurgimento dos casos de Ébola. O alerta da Casa Branca surgiu no mesmo dia em que a OMS emitiu um aviso a seis países de África sobre novos surtos.

A OMS não revelou a lista completa dos países que receberam o alerta, mas garantiu que Libéria e Serra Leoa estão na lista. O ressurgimento de casos de Ébola no continente africano, foi anunciado no dia 7 de fevereiro.

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. Ao se inscrever no nosso newsletter, você concorda com nossos Termos de uso e Política de privacidade.

- PUBLICIDADE -
Top Stories

XipalaPala podcast

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

COVID-19: UNICEF emite alerta para saúde mental de 330 milhões de crianças e adolescentes

Cerca de 330 milhões de crianças e adolescentes confinados no contexto da pandemia da COVID-19 correm risco de desenvolver...

África CDC espera treinar 150 epidemiologistas no continente africano

Cento e cinquenta epidemiologistas serão treinados para aumentar a capacidade das instituições de saúde em África. A iniciativa divulgada,...

PMA prevê expandir ajuda a cerca de 500 mil pessoas em Cabo Delgado

O Programa Mundial de Alimentação (PMA) prevê expandir ajuda a cerca de 500 mil pessoas afectadas pela crise humanitária...

Moçambique espera vacinar 16 milhões de pessoas até 2022

Moçambique quer vacinar 16 milhões de pessoas contra a covid-19 até 2022, meta que corresponde a toda a população...

Cidadão morto por rejeitar cerimónia tradicional em Mandlakazi

Um cidadão de 60 anos de idade foi morto à catanada pelo seu próprio filho, de 27 anos, no...
- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here